Campanhas contra o assédio ganham força na Internet

logo_englishonline
Governo oferece curso de inglês online gratuito
20 de outubro de 2017
Royal_Palace_Universidade_de_Coimbra_10249002256
São 27 as universidades portuguesas conveniadas ao Enem
20 de outubro de 2017
Exibir tudo
IMG_20171020_110221

A violência contra mulheres não é nenhuma novidade na sociedade. Desde o início do desenvolvimento de seus corpos, têm que aprender a lidar com as mais diversas formas de assédio, seja ele verbal ou físico. Porém, com o espaço conquistado pelo movimento feminista na mídia atual, muitas campanhas para proteger as mulheres dessas situações foram criadas e são amplamente divulgadas.

Com a onda de denúncias feitas por atrizes como Angelina Jolie contra o produtor cinematográfico Harvey Weinstein, várias dessas campanhas surgiram e seguem ganhando força na Internet.

Na França, a principal campanha foi lançada no Twitter pela jornalista Sandra Muller com a #Balancetonporc” (#Entregueseuporco, em português), onde ela incentiva o público feminino a denunciar e divulgar os nomes de assediadores. O primeiro caso foi divulgado pela própria Sandra, no qual ela denuncia o ex-diretor de um canal da televisão francesa Eric Brion de assediá-la verbalmente. A hashtag entrou nos TrendingTopics da rede social rapidamente e milhares de mulheres aderiram à campanha.

Já nos Estados Unidos a campanha que mais se popularizou foi #MeToo, liderada pela atriz Alyssa Milano. O movimento foi criado em 2010 por Tarana Burk, mas após o escândalo envolvendo Weinstein, Alyssa decidiu ressuscitá-la. Em seu Twitter, a atriz sugeriu que todas as mulheres que já foram vítima de assédio ou abuso sexual respondessem ao tweet com a hashtag “MeToo”. Em 4 dias foram mais de sessenta e sete mil respostas.

Nesta manhã, em uma entrevista ao “Good Morning America” Alyssa afirma que o machismo é um problema cultural que se deve encarar. “A campanha ajudou mulheres que não queriam expor suas histórias ou o nome do assediador a mostrarem solidariedade. Um dos objetivos é mostrar que assim como acontece em Hollywood, o assédio está em toda parte. Com mulheres na rua, no hospital, no trabalho, em qualquer lugar”. Ela diz que o foco da campanha são as vítimas. “Esse movimento nos dá voz, nos dá força, nos dá poder. Isso acaba aqui. Não vamos mais aturar esse tipo de situação”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *