ONU suspende ajuda humanitária a Síria

pte_16_noms68_fullshow_graphics
O melhor do Emmy Awards 2016
19 de setembro de 2016
Sao Paulo- SP- Brasil- 18/09/2016- Manifestantes realizam ato contra o governo de Michel Temer. O ato começou com a concentração embaixo do vão livre do MASP. Na foto, manifestante é detida por Policiais Militares. Foto: Paulo Pinto/ Agência PT
ONU denuncia Governo Alckmin por violência da PM
20 de setembro de 2016
Exibir tudo
16263187

Após ataque a comboios da ONU e da Crescente Vermelho, Nações Unidas suspende ajuda ao país

O OCHA (Escritório de Coordenação de Assuntos Humanos das Nações Unidas) anunciou hoje, 20, que todos os comboios de ajuda humanitária na Síria estão suspensos. A decisão ocorreu após o ataque conta o comboio na segunda-feira, 19, em Aleppo.

Caminhões da ONU e da Crescente Vermelho foram atingidos, segundo as Nações Unidas, que aproveitou para criticar o ataque e afirmar que a agressão foi originada por aviões russos ou sírios. O porta-voz, Jens Laerke, completou dizendo que a ajuda humanitária só vai retornar depois de uma reavaliação das condições de segurança na Síria.

Os caminhões que foram atingidos estavam indo prestar assistência a 78 mil pessoas na cidade de Uram al-Kubra, em Aleppo. As estimativas indicam que 18 dos 31 caminhões foram atingidos, assim como o depósito do Crescente Vermelho do local. O ataque ainda deixou 12 mortos. “A equipe toda está em choque”, disse o executivo da Cruz Vermelha, Robert Mardini.comboio-humanitario-afp

Os EUA também responsabilizaram a Rússia pelo ataque aéreo ao comboio humanitário e segundo John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado, tanto o governo russo como o regime de Assad conheciam o destino dos caminhões.

O cessar-fogo, que começou no dia 12, com previsão de sete dias de duração, já vinha sido violado. E no mesmo dia do ataque, o Exercito sírio anunciou o fim do acordo. A situação ficou mais grave quando bombardeios aéreos liderados pelos EUA mataram pelo menos 62 soldados do regime sírio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *