capa matéria
O mito do amor romântico
15 de setembro de 2017
Game-XP
Rock in Rio: Vale a pena ficar de olho
17 de setembro de 2017
Exibir tudo
Rock-in-Rio-2017
Foto: Divulgação Rock in Rio

Logo após um longo período de ditadura militar, no qual a censura impedia os artistas de se manifestarem, surge a ideia do primeiro grande evento musical do país, o Rock in Rio.

Mesmo com o receio do público não aderir à sua ideia por conta do delicado período em que o Brasil estava passando, em 1985, Roberto Medina investe na primeira edição do evento. A grande sacada do fundador era conseguir juntar estrelas do rock internacional e nacional com grandes nomes da música popular brasileira,trazendo diversidade de estilos para que todos pudessem aproveitar. Surge então, já logo na primeira edição, a Cidade do Rock. Uma área de 250 mil metros para atender os mais diversos públicos aclamando por música e cultura.

Como previsto por Medina, o festival foi um sucesso, era necessário corrigir uma coisinha aqui ou ali, mas ainda assim foi um evento de grande porte. A banda Queen pode confirmar tal exuberância, os integrantes se lembram com emoção da icônica apresentação de “Love of My Life” que o público, majoritariamente brasileiro, cantou em coro, arrepiando todos que estavam presentes.

Seis anos depois, em 1991, o Rock in Rio chega para sua segunda edição, agora melhor estruturado e no maior estádio do mundo na época, o Maracanã. A junção de artistas como Guns N’ Roses, Faith No More, Billy Idol, Sepultura, Titãs, Engenheiros do Hawaii, Lobão e demais, bateu recordes nunca vistos.

Numa tentativa de engajar o público em ações que buscam o mundo melhor e realizar um festival com responsabilidade social, na terceira vez do Rock in Rio, na Cidade Maravilhosa, em 2001, os organizadores convidaram todos a refletir a respeito do que estamos fazendo com o nosso planeta e o que é possível fazer para melhorá-lo.

Em 2004, com ambição de atingir novos públicos e expandir a marca do festival, o Rock in Rio levantou voo e pousou na capital portuguesa. Lisboa foi o primeiro lugar da Europa a receber esse grandioso evento que trouxe artistas consagrados, não só internacionalmente conhecidos, como manteve a tradição de ter brasileiros no palco. Dois anos depois, aconteceu novamente na mesma cidade, criando a partir dai uma tradição de dois em dois anos Portugal sediar o festival.

Outra cidade da Europa que recebeu o festival foi Madrid, onde o Rock in Rio ganhou ainda mais força. Não era mais um evento só voltado para a música, mas sim para o público no geral. Apostaram em desfiles, diversidade musical ainda maior, estrutura mais ampla, atrações diferenciadas, prezando uma experiência inesquecível do festival.  Espanha já recebeu os shows três vezes, em 2008, 2010 e 2012.

Para a comemoração dos 30 anos de Rock in Rio, houve uma edição em 2015 em Las Vegas e outra no Brasil que trouxe novamente Queen, mas desta vez com Adam Lambert no vocal, que não deixou a desejar e conseguiu emocionar os fãs da banda.

Para esse ano, no Brasil, as novidades são: a áreas voltada para videogameo palco onde estrelas da internet se apresentarão, a própria Cidade do Rock que está localizada no Parque Olímpico, tendo o dobro do tamanho da edição anterior, e ainda, um espaço gourmet.

Até então já foram realizadas 17 edições pelo mundo, sendo 6 delas em sua cidade natal, 1588 artistas escalados, 8,5 milhões de pessoas na plateia, 3 milhões de árvores doadas à Amazônia e milhares de histórias para contar!

Juliana Caveiro
Juliana Caveiro
17 anos, São Paulo, SP. Vivendo na época errada e me apaixonando cada vez mais por esse mundão através do jornalismo. Acredito sempre no melhor das pessoas e o bem que elas podem fazer. No meio da correria, me prendo nas simplicidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *