Rock in Rio: Histórias inusitadas no festival

031800_mother-Jennifer-Lawrence
“Noitão” e as impressões de “Mãe!” de Darren Aronofsky
19 de setembro de 2017
Wizarding-world-of-harry-potter-logo
Ponto Cego: Harry Potter
1 de outubro de 2017
Exibir tudo
cdcadf48
(Foto: reprodução)

Com 8,5 milhões de espectadores, milhares de histórias foram escritas no Rock in Rio, desde românticas até as mais engraçadas

Já passaram pelos palcos do evento inúmeros artistas e contamos aqui um pouquinho sobre cada edição e as apresentações que fizeram história, mas existem outros que fazem do Rock in Rio uma experiência incrível, o público, e eles tem muitas histórias pra contar.

Tem pedido de casamento, termino de namoro, coincidências da vida, esquecimentos, presente de aniversário dado pelo próprio ídolo, como aconteceu no show do Justin Timberlake no dia 17, e muitos outros.

Quer uma história doida? A Giovana Marques, 24 anos, quando foi com a mãe na edição de 2013 assistir Florence, contou que se sentou para esperar a apresentação começar quando um cara, ao seu lado, mordeu seu ombro sem motivo aparente. A garota se assustou e perguntou o porquê daquilo e obteve a simples resposta “Gostei de você, ai deu vontade e eu mordi”, ao invés de ficar brava com a situação, ela e sua mãe, caíram na risada.

rock in rio mordida

Foto da Giovana no Rock in Rio

Ao contrário da Giovana, Samantha Fernandes, não levou sua mãe. Pior, saiu do seu estado e foi escondida para assistir Guns N’ Roses e foi descoberta quando apareceu na transmissão ao vivo pela televisão. “Fui só com a passagem e dinheiro no sapato. Foi uma aventura”, contou ela.

O momento que a Luciana Muniz vivenciou, ela nunca vai esquecer. Um casal estava na fila da roda gigante e a menina estava muito aflita. Quando entraram na casinha do brinquedo a menina ficou muda, quase nem respirava, estava morrendo de medo. Quando chegaram ao ponto mais alto, o rapaz que a acompanhava perguntou se a Luciana, nossa entrevistada, se importava em ser testemunha de uma coisa. “Na hora me deu um nó e pensei ‘caraca, o cara vai se jogar daqui ou vai abrir e jogar a menina’”. Então ele pediu a garota em casamento. Tirou do bolso uma caixinha com as alianças e a menina começou a chorar bastante. Luciana ainda expressou sua emoção, “Foi lindo! Eles estavam tão apaixonados e o medo que eu estava foi embora. O clima se transformou no melhor possível e no instante parecia que nós éramos todos amigos há anos, foi mágico”.

rock in rio casamento

Lucia Muniz, uma amiga e o casal na roda gigante

Uma das histórias que escolhemos é lá da segunda edição do evento. No auge dos seus 16 anos, Cris Fraga, realizou o sonho de ir de graça para o Rock in Rio. Ligou na rádio da sua cidade no interior pedindo uma música do Capital Inicial e o locutor perguntou se ela gostaria de fazer parte da promoção que estava rolando. Descrente, aceitou participar e algumas horas depois ligaram na sua casa avisando que tinha ganho 4 ingressos. De inicio, por ser muito nova, seu pai não a deixou ir, mas convenceu um primo para acompanha-la. “Havia 250 mil pessoas no Maracanã, foi tudo muito intenso e grandioso! Eu, uma menininha do interior, fiquei maluca, me apaixonei pelo festival e sofri ano após ano, esperando uma nova edição”, comentou ela sobre os 10 anos sem o festival.

rock in rio maracana

Rock in Rio no Maracanã, em 1991

Essa é uma história sobre um grupo que foi criado por causa do Rock in Rio. Roberta Laudano nos contou que conheceu algumas pessoas por um acaso na página do Rock in Rio no Facebook, em 2015. Montaram um grupo para quem estava órfão do evento (explicar)e não sabia o que fazer depois. E não é que deu ceto! Meses depois, marcaram para se conhecerem em uma festa especialmente organizada para o grupo. Desde então foram altas aventuras, viagens, festas, alguns romances e até brigas. Roberta comenta que se encontrão, todos os integrantes, novamente nessa edição do Rock in Rio, para fazer jus ao que os uniram.  “Após dois anos finalmente iremos juntar todos os integrantes dia 24. Estamos muito felizes”.

Pra fechar, esse último relato mostra muito bem o lema do Rock N’ Roll, por isso, iremos contá-la exatamente como  a Priscila Fonseca passou para nós. “Meu primeiro Rock in Rio foi o da edição de 2001. Eu tinha 19 anos. Eu e o meu namorado da época amávamos Guns n Roses. Nós nos víamos a cada 15 dias somente, e calhou desse fim de semana ser bem no final de semana do show. Nós fomos para o festival única e exclusivamente na intenção deste show, seria um sonho nosso. Curtimos bastante o evento. Estávamos exaustos, mas ansiosos mesmo com o atraso do show.
Eles entraram. Não era a formação original, mas eram eles.
Quando tocou November Rain, não conseguimos evitar… Nos beijamos muito. Conseguimos um com jeitinho discreto de fazer amor no meio do show… Muito doido, mas foi incrivelmente inesquecível. Inesquecível pelo ato por si só e por que eu engravidei.
O Show foi dia 14/01/2001. No dia 13/10/2001 meu filho nasceu , praticamente 9 meses depois… Hoje, para os meus amigos e conhecidos, ele é o Filho de Guns. Não vivo com o pai dele, mas vou levá-lo para o Rock in Rio no dia 23 , pra assistir ao show da banda da vida dele, pois ele inexplicavelmente também ama”.

2001-rock-in-rio-2001

Público no Rock in Rio de 2001

E você? Tem uma história para nos contar?

Juliana Caveiro
Juliana Caveiro
17 anos, São Paulo, SP. Vivendo na época errada e me apaixonando cada vez mais por esse mundão através do jornalismo. Acredito sempre no melhor das pessoas e o bem que elas podem fazer. No meio da correria, me prendo nas simplicidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *