Após resultado das eleições, economia mundial já sente os primeiros efeitos

trump-hillary
Descubra quais artistas apoiaram Hillary Clinton e Donald Trump
9 de novembro de 2016
9nov2016-pessoas-foram-ate-a-5-avenida-em-nova-york-protestar-contra-trump-na-noite-desta-quarta-feira-9-1478763158460_956x500
Protestos anti-Trump reunem manifestantes em várias cidades dos EUA
10 de novembro de 2016
Exibir tudo
us-republican-presidential-nominee-donald-trump-holds-election-n-gtl308tk0-1

Após disputada eleição, Trump dispara em “estados chave” e derrota Hilary Clinton

Apesar das polêmicas sexistas e xenofóbicas que cercavam o representante do partido republicano, Donald Trump derrotou a rival democrata Hilary Clinton. Com a conquista da maioria de votos nos “estados chave”, Flórida, Pensilvânia e Ohio, o magnata venceu a corrida pela presidência dos Estados Unidos da América.

Durante toda a sua campanha, Trump destacou-se na mídia internacional por conta dos ideais radicais que pregava com relação a imigrantes mexicanos ilegais no país, entretanto em seu discurso de vitória, o candidato optou por um discurso diferente do que pregou durante a sua campanha. “Vamos tratar a todos com justiça. Todos os povos e todas as nações. Buscaremos terreno comum e não hostilidade; associação e não conflito”, afirmou.

bbtzvm1

A economia mundial já se mostra pessimista com a eleição do republicano. Durante a contagem dos votos, as bolsas asiáticas haviam aberto em alta, com os investidores convencidos da vitória da democrata Hillary Clinton, mas, à medida que Trump ampliava a vantagem apuração, os mercados financeiros da Ásia, da Austrália e da Europa começaram a cair.

Segundo o site dw.com, o índice Nikkei da bolsa de Tóquio, por exemplo, caíram 5,36% (mais de 900 pontos), chegando aos 16.251,54 pontos. O segundo indicador da bolsa japonesa, o Topix, perdeu 4,57%, fixando-se nos 1.301,16 pontos no fechamento da sessão. Em Frankfurt, o DAX, principal índice alemão, abriu em queda de 4%. Em Paris, a queda era de 2,7%. Já o peso mexicano caiu para um dos valores mais baixos da sua história em desvalorizações que alcançaram 13%.

Para o Brasil, Trump na Casa Branca pode significar uma possível diminuição de investimentos no país além de um possível distanciamento entre as duas nações. Isso se deve à política protecionista defendida pelo atual presidente. No entanto, certa dúvida paira sobre tal possibilidade, afinal, o candidato se distanciava de temas sobre a América Latina durante sua candidatura e também é considerado imprevisível, o que também prejudica o cenário econômico mundial.

Donald Trump é o 45° presidente dos EUA interrompendo uma sequência de oito anos do partido democrata no poder com Barack Obama. O empresário de 70 anos assumirá a Casa Branca no dia 20 de janeiro de 2017.

Fernando De Amicis
Fernando De Amicis
18 anos, São Paulo, SP. Nascido em São Paulo e criado em Santo André, sempre tive paixão por contar histórias, antes mesmo de saber escrever. Fã de esportes, música e gastronomia, sonho com grandes projetos em tudo o que faço. Alguns podem dizer que tenho a cabeça nas nuvens, mas respondo “quem fica sempre com os pés no chão nunca chegará ao céu”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *