surf1
França aposta no tratamento de doenças crônicas através do contato com a natureza
22 de setembro de 2016
2014-759192699-2014-751758699-2014091554441-jpg_20140930-jpg_20141011
Pesquisa revela dados preocupantes sobre violência sexual
23 de setembro de 2016
Exibir tudo
verde

Harmonização entre cidade e natureza roda pelas ruas de Londres e é sucesso por onde passa

A Hortum Machina, uma máquina esférica construída de alumínio reciclável na qual é possível ver por dentro plantas nativas britânicas, tem chamado a atenção pelas ruas de Londres. Sua estrutura chega a 3 metros de altura e pesa aproximadamente 400 quilos, e o mais legal é que ela funciona sem piloto ou controle remoto.

Projetada pelo arquiteto brasileiro, Danilo Sampaio, e pelo engenheiro maltês, William Victor Camilleri, com o apoio da escola londrina de arquitetura Bartlett, o Hortum Machina é o primeiro jardim ambulante autônomo a rodar pelas ruas, segundo a BBC.

O projeto tem como intuito ser uma extensão de um parque, ou seja, levar a lugares, principalmente onde não há áreas verdes, um pouco da natureza, assim as plantas deslocam-se pela cidade em busca de uma harmonização entre o cinza agitado das cidades com o colorido e o verde do meio ambiente.

Mas a dúvida que permanece é como esse grande projeto pode se locomover sem nenhum controle ou piloto, o robô esférico obedece ao comando das plantas, por exemplo, se elas acharem que o sol está muito forte, a máquina vai descansar em uma sombra, se chove ela gira para que todas as folhas recebam a água da chuva.

Além disso, o projeto também irá colaborar para amenizar a poluição. Ele apresenta um sistema que detecta um ar mais poluído, assim faz com que a esfera fique no local por mais tempo, até perceber que a qualidade do ar melhorou.

E não para por aí, o jardim ambulante por onde passa tem a capacidade de dispersar as sementes, contribuindo com a biodiversidade e evitando o desaparecimento das plantas nativas.

O arquiteto brasileiro apresentou o projeto ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, esperamos que seja possível ver uma obra dessas pelas ruas brasileiras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *