ONU denuncia Governo Alckmin por violência da PM

16263187
ONU suspende ajuda humanitária a Síria
20 de setembro de 2016
us-protests-break-out-in-charlotte-after-police-shooting-ghn2u1aeo-1
Governador da Carolina do Norte declara estado de emergência
22 de setembro de 2016
Exibir tudo
Sao Paulo- SP- Brasil- 18/09/2016- Manifestantes realizam ato contra o governo de Michel Temer. O ato começou com a concentração embaixo do vão livre do MASP. Na foto, manifestante é detida por Policiais Militares. Foto: Paulo Pinto/ Agência PT

ONG Conectas pede atenção da ONU sobre a truculência da Polícia Militar de SP em manifestações

 

A ONG Conectas de Direitos Humanos denunciou na tarde desta segunda-feira, 19, a Polícia Militar do Governo do Estado de São Paulo, de Geraldo Alckmin, por abuso policial durante as manifestações contra o governo do Presidente da República Michel Temer. Realizada durante a Assembleia Geral da ONU, para o Conselho de Direitos Humanos em Genebra, a ONG citou o “crescente processo de criminalização do direito de protestar”.

Ainda durante a apresentação da denúncia, a organização não governamental ressaltou que a repressão policial tem feito diversas vítimas, como a jovem Deborah Fabri, que perdeu a visão do olho esquerdo durante a manifestação que ocorreu em 31 de agosto.

“Em reação aos protestos de larga escala que estão ocorrendo, o Estado brasileiro tem utilizado suas forças de segurança para reprimir as manifestações violentamente”, ressaltaram. “No estado de São Paulo, onde os protestos de rua têm sido os mais numerosos, o governador Geraldo Alckmin reprimiu com truculência os manifestantes. Vários manifestantes foram feridos”, ainda acusaram durante o pronunciamento.

Essa denúncia é feita em um momento delicado para o Brasil no Conselho de Direitos Humanos da ONU, já que a votação para a entrada do nosso país no comitê será em algumas semanas.

O Itamaraty respondeu a denúncia alegando que os atos abusivos que ocorreram durante as manifestações já estão sendo investigados e os autores responsabilizados.

Maria Clara Galeano
Maria Clara Galeano
18 anos, Jundiaí, SP. Libriana, ansiosa e apaixonada por livros e séries. Amo moda e sonho com o dia que terei o trabalho de Andrea Sachs de “O Diabo Veste Prada”. Gosto de me desafiar e procuro viver cada dia de forma única.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *