A cantina italiana que é aconchegante igual cozinha de “Nona”

nadal
Nadal, o rei do saibro
12 de junho de 2017
CAPA 2001
#PontoCego: 2001: Uma odisseia no espaço
19 de junho de 2017
Exibir tudo
capa
Foto: Reprodução

Brasiliani segue fielmente as raízes da cozinha italiana tanto no paladar quanto no bem-estar que o local proporciona

Foto Reprodução

Foto: Reprodução

Semana de Dia dos Namorados parece o momento ideal para aquela refeição romântica que todos desejam ter, por isso muitos optam pela culinária italiana que é muito conhecida por promover esse clima apaixonado. Foi isso que busquei para comemorar a data.

A cantina Brasiliani, que existe há 14 anos no mercado, oferece o ambiente perfeito para uma refeição a dois ou até mesmo para uma família. O cardápio delicioso e o ambiente confortável deixa os clientes com vontade de visitar de novo.

Foto Reprodução

Foto: Reprodução

No sábado, 12, eu e meu namorado tínhamos uma reserva para o almoço e estávamos ansiosos pelo o que encontraríamos. Conhecemos a Brasiliani através de indicações de sites como Veja São Paulo, Guia da Semana e Guia Folha. A boa localização e o preço convidativo, entre R$ 36 a R$70,  foi o que mais nos chamou atenção.

O cardápio traz cerca de 10 tipos de massas e 15 molhos de acompanhamentos, além das opções de carnes e aves. Nós optamos pela Lasagne di Polpetta ($40), recheada com mussarela, mini porpetinhas artesanais e um delicioso molho ao sugo. Pedimos um suco de laranja e um de maracujá, cada um R$ 5,30.

Foto: Beatriz Borges

Foto: Beatriz Borges

Para finalizar, pedimos um Petit Gateau (R$ 18) e uma Torta de Maçã com canela, chantilly e sorvete de creme (por volta de R$16). O atendimento durante nossa visita foi rápido e amistoso e não tivemos problema com a qualidade dos pratos que pedimos. A cantina está localizada na Rua Marco Aurélio, 102 – Vila Romana.

Foto: Beatriz Borges

Foto: Beatriz Borges

Foto: Beatriz Borges

Foto: Beatriz Borges

Beatriz Borges
Beatriz Borges
20 anos, São Paulo, SP. Sou apaixonada por tudo que é capaz de me tirar da superficialidade e me fazer viajar mais profundamente naquilo que a vida e as pessoas têm a oferecer. Literatura, música, cinema e gastronomia são ótimos exemplos dessa viagem cotidiana. O que me fez escolher jornalismo é a vontade de dar voz e contar histórias daqueles que não possuem visibilidade alguma.

1 Comentário

  1. Felicia disse:

    Nossa, adorei esse site. Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *